Coloco aqui minhas reflexões, minhas poesias, poesia de terceiros, textos, algumas brincadeiras e muita paz de espírito.

terça-feira, 22 de maio de 2012

"Jantei com meu marido... e a amante dele"

Descobrir que ele tem outra é no mínimo um choque — e as reações, imprevisíveis. A história de Kátia é a maior prova disso: ela convidou a rival para um Natal em família — e para passar uma noite em sua casa

Por Claire Campbell

amantedomarido

KÁTIA, A MULHER
Olhando ao redor na sala onde faremos o nosso jantar de Natal, reparo na disposição dos lugares. Ao meu lado estará meu marido, Márcio. Do outro lado da mesa ficará Ana, a filha de 16 anos de Márcio, e seu namorado. Do outro lado e próximo a Márcio, há um lugar para Rebeca, sua amante há três anos. Ainda me parece irreal não apenas me sujeitar ao fato de meu marido transar com outra mulher, mas que eu a convide para a nossa casa. Mas neste Natal, pela segunda vez, é exatamente isso que farei.

Eu sempre soube que Márcio era assim, desde que o conheci. Atraente, sexualmente confiante e sempre capaz de me fazer rir, era impossível de resistir. E onde quer que nós fôssemos, as mulheres reparavam nele. Rebeca e Márcio se conheceram quando ela veio trabalhar no escritório dele, quatro anos atrás. Ela já havia participado de jantares em nossa casa antes que eu suspeitasse de algo entre os dois. É uma loira atraente, de olhos verdes e humor afiado. Gostei dela logo de cara.

Por isso foi particularmente difícil ter encontrado, em agosto passado, um e-mail que ela enviou a ele. Ainda me lembro como me senti ao ler ‘tenho você colado na minha pele’.

As palavras de Rebeca não eram as de alguém que teve um encontro casual de uma noite, mas as de uma mulher emocional e fisicamente envolvida.

Quando confrontei Márcio a respeito, ele admitiu o caso. E me disse que tinha medo de como se sentiria se não pudesse mais vê-la. Quem estava com medo naquela hora, no entanto, era eu. Afinal, nosso relacionamento acabava de entrar em um terreno delicado. Se eu pressionasse Márcio, poderia perdê-lo para sempre.

Foi nesse momento que decidi não me meter na história do meu marido com a amante dele. Concluí que se eu me tornasse um obstáculo entre eles, o vínculo só aumentaria. Mas se eu os deixasse em paz, poderiam se cansar um do outro. Eu ainda amava Márcio e acreditei quando ele me disse que também me amava. Então, a partir daquele momento, e para grande alívio dele, eu não mencionei mais o caso.

"Se eu me tornasse um obstáculo entre eles, o vínculo aumentaria” (Kátia)

Parecia funcionar. Mesmo sabendo que eles ainda estavam se encontrando, Márcio não demonstrava interesse em abandonar a nossa casa. Se dizia que ia sair, eu não perguntava aonde iria. À essa altura, Rebeca sabia que eu estava a par da situação, mas nunca chegamos a nos confrontar. De certa maneira, eu preferia saber com quem ele estava a imaginar uma namorada fictícia com quem eu jamais poderia competir.

Então, dois dias antes do Natal passado, Márcio voltou do trabalho e disse que Rebeca não conseguiria passar o Natal com os pais no interior. Eu me perguntei se ele planejava vê-la nesse tempo, e entrei em pânico. Subitamente, me ouvi dizer: “Será que ela gostaria de passar o Natal conosco?”. Isso se devia em parte porque eu não queria vê-lo escapulir para ir encontrá-la e, em parte, porque eu me sentia menos ameaçada agora que sabia que ele não queria o divórcio. E, ao menos, esta era uma batalha que eu estava lutando em meu território.

Márcio pareceu um tanto chocado, mas prometeu repassar a pergunta. No dia seguinte, Rebeca me ligou para aceitar o convite. Eu me surpreendi com o tom amistoso na voz e imediatamente imitei seu jeito. Até corri até a loja na véspera do Natal para comprar um frasco de perfume de grife para ela, sabendo (por um recibo de cartão de crédito de Márcio) que aquela era sua fragrância favorita.

Quando Rebeca chegou, ele parecia mais desconfortável do que eu. Eu apresentei Rebeca à família e aos amigos como uma colega de trabalho de Márcio. Na verdade, apenas minha enteada, Ana, suspeitou de algo. Mesmo sem ter dito nada ao pai, ela me disse que achava aquilo ‘nojento’.

Rebeca passou a noite em casa e quando chegou a hora de ela partir, na manhã do dia seguinte, nós estávamos rindo sobre o tempo que Márcio demorava para sair do banheiro, e senti que éramos quase aliadas. Então, neste ano, quando ele me disse que Rebeca pretendia ficar na cidade para o Natal, sugeri que ela se juntasse a nós mais uma vez. Não gosto da ideia de ela passar Natal conosco, mas se Márcio precisa ter uma amante, prefiro aceitá-la a jogá-lo nos braços de outra pessoa.”


http://revistamarieclaire.globo.com/Revista/Common/0,,EMI303704-17737,00-JANTEI+COM+MEU+MARIDO+E+A+AMANTE+DELE.html

quinta-feira, 17 de maio de 2012

Rainha da disco, Donna Summer morre aos 63

Conhecida como rainha da era das discotecas, a cantora Donna Summer morreu nesta quinta (17), aos 63, na Flórida (EUA). A notícia foi dada pelo site "TMZ" e confirmada pela família pouco depois.

A cantora sofria de câncer, mas não quis torná-lo público. Ela estava trabalhando em um novo álbum.

Donna Summer, que ganhou o Grammy cinco vezes, despontou na cena disco com hits como "Last Dance", "Bad Girls" e "Hot Stuff" --que faz parte da trilha sonora da novela "Avenida Brasil".

dona samer

A diva da disco music Donna Summer durante tributo a Diana Ross em Nova York

A cantora começou sua carreira na música fazendo backing vocal para o grupo Three Dog Night.

Em 1971, como Donna Gaines, ela lançou seu primeiro single, uma cover de "Sally Go 'Round the Roses". Ela se casou em 1972 com o ator austríaco Helmuth Sommer, de quem adotou o sobrenome, modificado para "Summer", e teve sua primeira filha em 1973. Pouco depois, se divorciou.

Summer também foi casada com o músico Bruce Sudano, com quem teve outras duas filhas.

Ainda no início dos anos 70, cantando como backing vocal, Summer conheceu os produtores Giorgio Moroder e Pete Bellotte, nomes que ajudaram a dar forma à era disco. Em 1974, lançou seu primeiro disco, "Lady of the Night".

Em 1975, ela levou a Moroder algumas ideias para a canção que viria a se tornar seu primeiro grande hit, "Love to Love You", lançado na Europa. A música alcançou as pistas dos EUA e do resto do mundo logo depois, como "Love to Love You Baby", chegando à segunda posição na parada "Billboard" em 1976.

A partir daí, reinou absoluta e passou a movimentar as pistas de dança de todo o mundo até o início dos anos 80, quando tentou se lançar em outros estilos musicais.

Summer investiu também na carreira de atriz e apareceu no filme "Até que Enfim é Sexta-Feira" em 1978.

O 17º e último álbum de Donna Summer, "Crayons", foi lançado em 2008.

Numa de suas últimas vindas ao Brasil, Donna Summer fez shows em São Paulo e no Rio, em novembro de 2009.

Veja Donna Summer cantando um de seus maiores sucessos, "I Feel Love", em 1978.

http://www.youtube.com/watch?v=f0h8Pjf4vNM&feature=player_detailpage

Abaixo, outro hit de Summer, "Hot Stuff":

http://www.youtube.com/watch?v=1IdEhvuNxV8&feature=player_detailpage

terça-feira, 8 de maio de 2012

Finalmente, a cura da celulite

original2-e1336412462758 

A celulite não é uma doença, mas pode-se dizer que tem mais mulher fugindo dela do que de males reais de saúde. E, por isso, sua cura é provavelmente muito bem-vinda.

Simplesmente 90% das mulheres têm celulite. É um acúmulo de gordura sob a pele, que dá a mesma aquele aspecto de “casca de laranja”, que é perfeitamente normal e inevitável, como a morte e os impostos, já que podem atingir qualquer mulher a partir da puberdade, independente de dieta e cuidados.

No entanto, com o culto à beleza, o tratamento com photoshop nos outdoors e fotos promocionais, além de concursos como “o corpo mais horrível da praia” de programas inúteis destacando as moças com mais celulite, ela foi alçada à condição de doença pela maioria das mulheres, uma “doença” da qual elas estão dispostas a tudo para se livrar. Inclusive a fazer um tratamento com laser, muito parecido com a lipoaspiração.

O nome do aparelho e do tratamento é Cellulaze, e consiste basicamente em uma estação de laser de fibra óptica, baseada na tecnologia SideLight 3D, que ataca as células de gordura com calor.

O tratamento é simples, embora caro, e pode ser feito em uma única aplicação apenas usando anestesia local. Alguns médicos nos EUA cobram US$ 7 mil (R$ 14 mil) pelo tratamento de uma área do tamanho de uma folha de ofício.

O médico marca uma grade na pele da paciente, para evitar a aplicação de muita energia laser na mesma área, o que pode causar seroma, e aplica o Cellulaze através de pequenos furos, destruindo com laser parte das células de gordura e das fibras de tecido conectivo.

Se o tratamento correr bem, em pouco tempo a pele fica mais firme, e lisa, como demonstram as fotos “antes e depois” no site do Cellulaze.

Porém, alguns médicos não estão convencidos, apontando que nada impede que as fibras conectivas cresçam novamente, produzindo as “almofadinhas”. Além disso, a paciente ainda terá que suportar três meses de desconforto prolongado, hematomas, inchaços e dormência na região tratada, dependendo da severidade do tratamento.

O Cellulaze é uma invenção da Cynosure, e o único trabalho científico relacionado ao produto foi publicado no Aesthetic Surgery Journal, de um teste executado pelo doutor Barry E. DiBernardo, cirurgião plástico de Montclair, EUA, com apenas 10 pacientes, de acompanhamento de um ano. O selo de aprovação do FDA, órgão americano que controla alimentos e medicamentos, estabelece que o produto deve ser oferecido como solução temporária, de acordo com o trabalho científico publicado.[Jezebel, NYTimes,GotCelluliteTreatments, Cellulaze]

original2-e13364124627581

Por Cesar Grossmann: http://hypescience.com/finalmente-a-cura-da-celulite/


sábado, 5 de maio de 2012

Sincero

Segundo o Dicionário Universal da Língua Portuguesa, a palavra sincero vem do latim sinceru, (puro) e quer dizer “verdadeiro; que diz francamente o que sente; em que não há disfarce ou malícia; leal; simples.”

sinceridade Existe mais de uma versão sobre a origem da palavra “sincero”.

A mais interessante é esta: na Roma antiga, escultores desonestos ocultavam com cera as imperfeições de suas estátuas de mármore. Na hora, o comprador não percebia as falhas. Mas depois de um tempo as imperfeições vinham à tona e se descobria que era uma escultura "cum cera".

Sabedores dessa fraude, os escultores honestos faziam questão de ressaltar que suas estátuas eram "sine cera", ou seja, verdadeiras, autênticas, honestas.


A outra é parecida e diz que palavra "sincero" foi inventada pelos mesmos romanos que também fabricavam certos vasos de uma cera especial. Essa cera era, às vezes, tão pura e perfeita que os vasos se tornavam transparentes. Em alguns casos, chegava-se a se distinguir um objeto - um colar, uma pulseira ou um dado - que estivesse colocado no interior do vaso.

Para o vaso assim, fino e límpido, dizia o romano vaidoso: “- Como é lindo! Parece até que não tem cera!”. "Sine cera" queria dizer "sem cera", uma qualidade de vaso perfeito, finíssimo, delicado, que deixava ver através de suas paredes e da antiga cerâmica romana.


O vocábulo passou a ter um significado muito mais elevado.

SINCERO, é aquele que é franco, leal, verdadeiro, que não oculta, que não usa disfarces, malícias ou dissimulações. O sincero, à semelhança do vaso, deixa ver através de suas palavras os nobres sentimentos...

quinta-feira, 3 de maio de 2012

Defenda-se das energias negativas

Todos nós sabemos as energias negativas são uma das maiores preocupações do ser humano. Procurar fugir delas é besteira. Ela nos alcança em qualquer lugar do planeta. Mas, podemos nos defender, começando a tomar uma série de atitudes e providências. Abaixo segue seis dicas pessoais para começar a combatê-las. energia negativa

1. NÃO TEMER NINGUÉM

Uma das armas mais eficazes na subjugação de um ser é impingir-lhe o medo. Sentimento capaz de uma profunda perturbação interior, vindo até a provocar verdadeiros rombos na aura, deixando o indivíduo vulnerável a todos os ataques. Temer alguém significa colocar-se em posição inferior, temer significa não acreditar em si mesmo e em seus potenciais; temer significa falta de fé. O medo faz com que baixemos o nosso campo vibracional, tornando-nos assim vulneráveis às forças externas. Sentir medo de alguém é dar um atestado de que ele é mais forte e poderoso. Quanto mais você der força ao opressor, mais ele se fortalecerá.

2. NÃO SINTA CULPA

Assim como o medo, a culpa é um dos piores estados de espírito que existem. Ela altera nosso campo vibracional, deixando nossa aura (campo de força) vulnerável ao agressor. A culpa enfraquece nosso sistema imunológico e fecha os caminhos para a prosperidade. Um dos maiores recursos utilizados pelos invejosos é fazer com que nos sintamos culpados pelas nossas conquistas. Não faça o jogo deles e saiba que o seu sucesso é merecido. Sustente as suas vitórias sempre!

3. ADOTE UMA POSTURA ATIVA

Nem sempre adotar uma postura defensiva é o melhor negócio. Enfrente a situação. Lembre-se sempre do exemplo do cachorro: quem tem medo do animal e sai correndo, fatalmente será perseguido e mordido. Já quem mantém a calma e contorna a situação pode sair ileso. Em vez de pensar que alguém pode influenciá-lo negativamente, por que não se adiantar e influenciá-lo beneficamente? Ou será que o mal dele é mais forte que o seu bem? Por que será que nós sempre nos colocamos numa atitude passiva de vítimas? Antes que o outro o alcance com sua maldade, atinja-o antecipadamente com muita luz e pensamentos de paz, compaixão e amor.

4. FIQUE SEMPRE DO SEU LADO

A maior causa dos problemas de relacionamentos humanos é a "Auto-Obsessão". A influência negativa de uma pessoa sobre outra sempre existirá enquanto houver uma idéia de dominação, de desigualdade humana, enquanto um se achar mais e outro menos, enquanto nossas relações não forem pautadas pelo respeito mútuo. Mas grande parte dos problemas existe porque não nos relacionamos bem com nós mesmos. "Auto-Obsessão" significa não se gostar, não se apoiar, se autoboicotar, se desvalorizar, não satisfazer suas necessidades pessoais e dar força ao outro, permitindo que ele influencie sua vida, achar que os outros merecem mais do que nós. Auto-obsediar-se é não ouvir a voz da nossa alma, é dar mais valor à opinião dos outros. Os que enveredam por esse caminho acabam perdendo sua força pessoal e abrem as portas para toda sorte de pessoas dominadoras e energias de baixo nível. A força interior é nossa maior defesa.

5. SUBA PARA POSIÇÕES ELEVADAS

As flechas não alcançam o céu. Coloque-se sempre em posições elevadas com bons pensamentos, palavras, ações e sentimentos nobres e maduros. Uma atmosfera de pensamentos e sentimentos de alto nível faz com que as energias do mal, que têm pequeno alcance, não o atinjam. Essa é a melhor forma de criar "incompatibilidade" com as forças do mal. Lembrem-se: energias incompatíveis não se misturam.

6. FECHE-SE ÀS INFLUÊNCIAS NEGATIVAS

As vias de acesso pelas quais as influências negativas podem entrar em nosso campo são as portas que levam à nossa alma, ou seja, a mente e o coração. Mantenha ambos sempre resguardados das energias dos maus pensamentos e sentimentos, e fuja das conversas negativas, maldosas e depressivas. Evite lugares densos e de baixo nível. Quando não puder ajudar, afaste-se de pessoas que não lhe acrescentam nada e só o puxam para o lado negativo da vida. O mesmo vale para as leituras, programas de televisão, filmes, músicas e passatempos de baixo nível.


Fonte: http://www.saindodamatrix.com.br/archives/2005/04/defendase_das_e.html


Muitos dos fracassos da vida ocorrem com as pessoas que não reconheceram o quão próximas elas estavam do sucesso quando desistiram. (Thomas A. Edison / 1847-1931)

quarta-feira, 2 de maio de 2012

UM TRAVESSEIRO DE PENAS

Certo homem andou espalhando fofocas a respeito de uma boa família da cidade, simplesmente porque a filha deles rompeu um antigo namoro por não gostar mais dele.

As fofocas se espalharam de tal maneira que em pouco tempo não só todas as pessoas da cidade estavam sabendo da má fama da moça, como também as moças do lugar foram proibidas de conversar com ela.

Dois anos se passaram, o rapaz se apaixonou por outra moça e se casou. Porém sua antiga namorada ainda levava a injusta má fama que ele havia espalhado. Ao ver a vida triste e sem amigos que ela levava, e que nunca mais tinha namorado outra pessoa, por ter ficado mal afamada, sua consciência pesou-lhe e não podia nem dormir direito. Estava profundamente arrependido do que havia feito e por isso decidiu confessar-se com o padre da aldeia.

Após confessar-se pediu ao padre que lhe desse uma idéia de como desfazer o mal que havia causado. O padre mandou que buscasse em casa um travesseiro de penas e voltasse para a igreja imediatamente. Curioso, o rapaz obedeceu.

sacodepenasAo voltar, o padre mandou que ele subisse até a torre mais alta da igreja, rasgasse o travesseiro e contasse cada uma das penas. Ele cumpriu todos os detalhes com muita dificuldade, pois era um dia de muito vento.

Estava ainda no alto da torre quando gritou para o padre que havia acabado a façanha de contar todas as penas em meio àquela ventania, então ouviu o padre que lá de baixo gritava para ele: "Pois bem, então agora abra o travesseiro novamente e espalhe ao vento todas as penas, sem deixar nenhuma no travesseiro!".

Sem entender muito bem o que o padre queria ensinar-lhe, e pensando que talvez fosse um tipo de "penitência estranha" obedeceu mais uma vez ao padre. Voltou cansado e apresentou-se ao com um tremendo ar de dever cumprido.

Surpreso, ouviu o padre dizer: Pois agora e que vai começar sua penitência! Saia pela cidade e coloque de volta no travesseiro todas as penas que você jogou, sem deixar nenhuma para fora. Só quando tiver conseguido fazer isto é que a má influência do que você fez terá passado.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...